Como transferir dinheiro da Nota Fiscal Paulista para o Santander

Consulte as orientações e veja o passo a passo para transferir créditos da Nota Fiscal Paulista para contas do Santander

Com a Nota Fiscal Paulista, todos os consumidores do Estado de São Paulo podem se beneficiar com o recebimento de uma parte do ICMS.

Este é o Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços, e muitos tipos de atividades geram essa alíquota, que é embutida no preço dos produtos e serviços.

O problema que a Secretaria Estadual da Fazenda de São Paulo enfrentava é que, como vários consumidores deixavam de exigir a nota fiscal, ficava fácil para as empresas burlar o recolhimento de imposto, ou seja, sonegar.

A criação da Nota Fiscal Paulista teve o intuito de acabar com esse quadro e, de fato, milhões de pessoas se tornaram participantes.


Quais as vantagens de participar do programa Nota Fiscal Paulista?

Um número bem alto de compras e contratações pode dar direito à porcentagem do ICMS, ainda que ela seja baixa.

Uma vez que o dinheiro está acumulado, o cidadão tem a escolha de transferi-lo para uma conta poupança ou corrente do Santander – e de outros bancos também.

Se tiver algum veículo, essa pessoa pode usar o valor que acumulou de Nota Fiscal Paulista para pagar o IPVA.

Porém, é proibido fazer a transferência do crédito para contas de outras pessoas, bem como pagar o IPVA de terceiros.

Além dessas vantagens financeiras, as pessoas que participam da NFP ficam mais seguras: se precisarem solicitar os seus direitos por causa da má qualidade do que compraram, por exemplo, podem fazer isso por estarem com a nota fiscal.

O governo paulista também faz sorteios mensais e os prêmios em dinheiro são muito atrativos. De janeiro a novembro, o valor máximo sorteado é de R$ 1.000.000,00, passando a R$ 2.000.000,00 no mês de dezembro.

Como transferir dinheiro da Nota Fiscal Paulista para o Santander


Como transferir dinheiro da Nota Fiscal Paulista para o Santander

Seja para conta poupança ou para conta corrente, quem é cliente do Santander deve fazer o seguinte:

  • Acessar o site da Secretaria Estadual da Fazenda e Planejamento clicando aqui;
  • Selecionar entre pessoa jurídica ou pessoa física;
  • Inserir as informações de CNPJ ou CPF;
  • Digitar a senha;
  • Clicar em “Utilizar créditos”;
  • Escolher entre conta poupança e conta corrente;
  • Selecionar o Santander e inserir as informações da conta.

Uma vez que a transferência é feita para o Santander, o contribuinte nem mesmo precisará seleciona-lo na próxima vez: o sistema da Sefaz paulista o gravará.

Contudo, se a pessoa abrir conta em outro banco e quiser transferir os créditos para ele, bastará mudar o que está cadastrado na Nota Fiscal Paulista.


Transferir dinheiro da Nota Fiscal Paulista para o IPVA

Se o consumidor, em algum momento, optar por transferir os créditos para abater o valor do seu IPVA, é só fazer o seguinte:

  • Acessar novamente o site da Secretaria Estadual da Fazenda e Planejamento;
  • Clicar em “Utilizar créditos”;
  • Selecionar a opção “IPVA”;
  • Inserir as informações sobre o veículo.

Empresas também podem dinheiro da Nota Fiscal Paulista?

Não são apenas as pessoas físicas que compram coisas ou fazem contratação de serviços: as pessoas jurídicas estão sempre fazendo isso.

Afinal, elas precisam comprar material, precisam contratar serviços de parceiros e muito mais.

Com isso, é claro que as empresas também podem ter ICMS devolvido, caso o seu CNPJ esteja cadastrado no programa Nota Fiscal Paulista.

Isso faz com as pessoas jurídicas tenham uma espécie de compensação: apesar de ser possível que elas gerem ICMS pelo que oferecem, elas também podem ter uma compensação desses gastos com as alíquotas de ICMS que voltam.

Como transferir dinheiro da Nota Fiscal Paulista para o Santander


Quais estabelecimentos disponibilizam créditos para a NFP?

Há poucos produtos que não acumulam créditos na Nota Fiscal Paulista, sendo eles os relacionados a armas (além delas próprias) e os relacionados a fogo, incluindo coisa de tabacaria.

Excetuando-se os produtos mencionados, todos os outros acabam gerando o ICMS e, devido a isso, favorecem os consumidores que se cadastram no programa.

Alguns dos mais comuns:

  • Lojas de variedades;
  • Varejista de tapeçarias;
  • Varejista de calçados;
  • Varejista de artigos de colchoaria;
  • Varejista de camionetas novas;
  • Varejista de frios e laticínios;
  • Padaria que produza a maior parte dos produtos;
  • Varejista de artigos de caça;
  • Varejista de embarcações e veículos recreativos;
  • Varejista de DVD e CD;
  • Varejista de jornais e revistas;
  • Duty free que estejam em aeroportos nacionais;
  • Fornecimento de comida para empresas;
  • Varejista de suprimentos de Informática;
  • Varejista de ferragens e ferramentas,
  • Peixaria;
  • Varejista de bombons e doces;
  • Varejista de tijolos e telhas;
  • Varejista de produtos homeopáticos;
  • Confeitaria que faça revenda;
  • Varejista de acessórios automotores e muito mais

Quem está cadastrado na Nota Fiscal Paulista e frequenta um desses estabelecimentos deve prestar atenção se o caixa pergunta o número de CNPJ ou CPF.

Caso ele não pergunte, o consumidor pode especificar que deseja que o documento seja registrado na nota fiscal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *